Thursday, October 11


Estou a viver os melhores tempos da minha vida, rodeada de uma paz quase inexplicável, que me consome e me faz sonhar. Estou tão presente em mim, em ti e naqueles que estão comigo seja onde for, para o que for. Nem que seja no meu coração. Consigo ler a entrelinhas do meu pensamento, do que desejo que fique, do que desejo que passe. Sim, que passe, por instantes. Sei que há momentos que nunca vou esquecer, e hoje resta-me desejar que o tempo os leve com uma brisa de vento, suave. Saudável. Resta-me recordar esses momentos com todo o carinho que neles vivi, porque não há como voltar atrás. Ninguém poderá apagar-te de mim, apenas eu. Mas não consigo. Só consigo recordar-me, nostalgicamente, das coisas boas que me deste, do que me fizeste sentir. E sabes, agora parece que voltei àquele verão, mas desta vez sem as tuas mãos nas minhas, sem o teu efeito, sem ti a acordar-me de manhã com uma mensagem de bom-dia. Se era isso que querias saber, sim, eu ainda me lembro de ti, seja de que forma for. Embora não to diga. Faço-me sempre de forte, não é? Tu conheces-me, tal e qual como eu sou. E se hoje me perguntasses como eu estava, eu não te saberia explicar. Marcaste o início de um novo capítulo da minha vida, e eu estou a dar-lhe continuidade. Sempre quis escrever um livro, e espero que me ajudes a realizar esse sonho. "Estou tão feliz assim." Pode ser o título?

No comments:

Post a Comment