Wednesday, November 14

Estou farta de escrever e apagar, de não saber por onde começar e o que hei-de dizer. Vou traduzir o que o meu coração sente. Continuas a ser tu a primeira pessoa que me vem à cabeça quando oiço a palavra 'saudade'. Ao caminhar na praia e a olhar para os reflexos do sol na água, são os teus olhos que me vêm à cabeça, é de nós que me lembro, dos dias mágicos que passámos, de quando nos conhecemos, quando começámos a falar, quando eu meti a mão no bolso porque tu me ias dar a mão, quando eras tu que me procuravas, quando andávamos de relógios trocados e ficávamos para trás porque tu estavas aleijado no pé. Se calhar estou errada, se calhar não é de ti que tenho saudades, é de mim e do que senti, do que me fizeste sentir. Foi a primeira vez que superei o medo, a primeira vez que me ajudaram a superá-lo e alcancei uma coisa que nunca esperava alcançar. Tu. Foste o primeiro rapaz a dar-me valor, a gostar de mim como eu era. Lembras-te da quantidade de tempo que ficávamos a falar? Havia sempre assunto, parecia inacreditável. Lembro-me de me dizeres, como se me tivesses dito hoje, "Nunca falei tanto em toda a minha vida com alguém como falo contigo". Acredito. Foram tantas as provas que demos um ao outro. Ao fim de uma dezena de meses vieste complicar as coisas. Já quase nem me lembrava do teu dia de aniversário, do teu número de telemóvel e do nosso dia. Mas voltaste. Foste tu. Eu já nem tinha o teu número de telemóvel gravado. Foste tu que me ligaste, foste tu que me mandaste mensagens. Foi o teu nome o primeiro aparecer no ecrã do meu telemóvel no meu dia de aniversário. Sinto isto por seres tu, só tu, por teres voltado ao fim de quase um ano, por te lembrares de mim, por, mesmo com namorada, me mandares mensagem, por os teus amigos me ligarem a dizer que sabem que eu fui, porque sei que sabes como eu sou, conheces-me e sabes a diferença que há entre mim e as outras raparigas com quem já estiveste. E mais uma vez, sei que me dás valor por isso. "Por tudo" são palavras tuas.

1 comment:

  1. é tão difícil eles voltarem quando uma parte de nós adormeceu o sentimento que havia, o congelou, tentou avançar e de repente dão sinais. muita força!

    ReplyDelete