Thursday, January 31

Aconteceu tanta coisa esta semana que nem sei o que dizer. Estou super cansada e só me apetece chorar. O meu pc avariou, colegas minhas querem ir para o meu ginásio - eu adoro ir ao ginásio, sozinha, sinto-me livre, não queria nada estar à noite com pessoas com quem estou o dia todo e me "tiram energia"-, voltaram a pôr o meu facebook no ask de um rapaz lá da escola para ele me avaliar, e claro, todos dizem o mesmo. Enfim, vou dormir. Espero que amanhã acorde melhor, senão vai ser outro dia perdido.

Wednesday, January 30

E pronto, alguém volta a pedir a rapazes para avaliarem a minha beleza (e de outras raparigas lá da escola). Ridículo. É tão ridícula a pessoa que pede para avaliar, como a que avalia. Para que serve saber se um rapaz acha esta e aquela raparigas bonita? Sabem para quê? Para baixar (ainda mais, caso tenha) a auto-estima às coitadas que, por acaso, viram a avaliação dos rapazes, que foi o meu caso. Não me interessa para nada saber a opinião deles, mas visto que a minha auto-estima sempre foi baixa, custa-me que pensem todos o mesmo, pois já é o terceiro que pedem para me avaliar. Enfim, dor de cotovelo por parte de quem pede, cobardia por parte de quem avalia.

Tuesday, January 29

Há palavras que magoam tanto, mas tanto, que eu não consigo esquecê-las. Não consigo ser a mesma pessoa.
A única coisa boa dos últimos dias

Sunday, January 27

Dia passado a fazer uma (big) ficha de história e a estudar filosofia. Revolução Francesa, Argumentos, Falácias, Conhecimento. Que domingo bem passado!

Thursday, January 24


Acho que houve um laço qualquer que se entrelaçou ao meu coração, ou à minha alma, ou a mim, ou sei lá. Esse laço não tem nome, nem morada, nem idade, talvez não tenha mesmo nada, ou nem sequer exista. Mas faz-me sentir quase bem, de coração quente. Quase porque quando um amigo meu chora, é também como se eu chorasse. Uma Amiga, que quero preservar para toda a vida. Mas sei lá, tenho tantas energias positivas dentro do coração, ou de sei lá o quê. Acho que já não sei nada. Só quero sair à rua e correr, cantar, e fazer um monte de disparates. Tenho vontade de mais, da vida.
O ginásio tornou-se a minha segunda casa, cada vez gosto mais de lá estar, cada vez gosto mais das pessoas, dos treinadores, das músicas. Já não consigo passar um dia sem ir, sem ter uma das aulas, sem o rpm, o jump, o step. Adoro adoro adoro.
“Ei garçon! Tá vendo aquela garota de vestido curto dançando ali na pista? É minha ex namorada. Antigamente eu a traia todos os dias, eu vinha pra cá com uns amigos pra curtir e falava pra ela que ia passar a noite em casa estudando. E sabe o que é pior? Ela acreditava. Todos os dias ela me mandava uma mensagem de bom dia no meu celular, às vezes passava o dia inteiro me ligando, só pra me lembrar do horário do dentista, nos finais de semana ela me esperava acordada de madrugada no msn só pra dizer: “Boa noite meu amor, eu te amo.”, e sabe como eu retribuía? Eu ria dela, eu só tinha vontade de vê-la quando meus amigos não me chamavam pra sair, eu ignorava todas as ligações e mensagens dela. Quando ela me convidava pra sair, eu mentia que não ia poder 5 minutos antes, e sempre que ela falava que me amava eu ria e mudava de assunto. Até que um dia ela cansou, desistiu, sei lá… Me excluiu de todas as redes sociais, trocou o número do telefone, passou a me ignorar. No começo achei que não ia me afetar, mas doeu, eu fui até a casa dela e ela não quis nem me ver. Hoje ela ta aí, linda, dançando feliz com as amigas, nem sequer olhou para os lados pra me procurar. Enquanto eu? Eu tô aqui babando por ela, enchendo a cara pra esquecer que um dia e
u tive tudo e não aproveitei nada!”

Wednesday, January 23

À medida em que o tempo passa, acho que estou a perder o interesse por ti. Só não sei se isto é bom ou mau. Acho que fiz, de tal maneira, uma carapaça à minha volta, que já não sou capaz de gostar de alguém. Verdadeiramente. Daquela maneira que nos tira o sono, a respiração, e nos faz sorrir por tudo e por nada. Mesmo sem motivo, mesmo sem ninguém a ver. Mas sabes, estou tão bem assim. Acho que é isso. O que tenho agora é mais que suficiente, consegue ser mais que tudo o que tive até hoje. E isso devo-o tanto a duas ou três pessoas. A minha vida, os meus hábitos, o que sou e o que escolho ser, não depende só de mim. Há também pessoas, que se contam pelos dedos de uma mão, que são tudo. Tudo o que eu tenho. Talvez seja isso que me faz perder o interesse por uma pessoa que me vê como uma amiga, ou se calhar nem isso. Sei que o tempo me vai dar a resposta que espero. E se fosse só a resposta...

Tuesday, January 22

Hoje queria que te sentasses à mesa comigo e saboreasse-mos juntos este leite bem quente com sabor a café. Não sei o teu nome, onde vives, que idade tens, mas queria ter a oportunidade de saber. Mais. De ti. Que nunca vi, nunca senti. Ou se calhar já. Mas hoje estou com uma vontade enorme de ter uma daquelas conversas de coração, com palavras repletas de sentido e sentimentos, do coração à ponta dos cabelos, da ponta dos cabelos aos dedos dos pés, do meu coração para o teu coração, dos teus olhos para os meus olhos. Queria. Onde quer que estejas, debaixo de uma cama, atrás de uma porta, escondido atrás do sofá, dá-me um sinal. Eu já estou sentada nesta mesa redonda e pequena, o leite com café já está servido. Só faltas tu.

Sunday, January 20

Gosto de me sentir ocupada entre livros, apontamentos e colecções de resumos, acompanhada por  um chocolate quente. Talvez perdida entre palavras e sentimentos escritos nestas folhas de papel feitas para serem lidas. Hoje por mim, amanhã como recordação, memórias de este tempo inexplicável. Rodeada de antíteses, aqui digo que gosto da minha vida assim, intensa, mais do que aquilo que foi, acompanhada de melodias que me transportam para outra dimensão sem ser preciso muito. O que faço aqui, com analogias, e anáforas. Adoro isto. Era capaz de fazer disto a minha vida. Acho que nasceu comigo.
Apetecia-me cometer uma falácia e dizer que os homens são todos iguais, se lhes derem a escolher uma rapariga com mau coração mas bom corpo e uma rapariga com mau corpo mas bom coração, escolhem a primeira hipótese. Apetecia-me mesmo dizer que são todos assim, todos fariam esta escolha, mas não o vou fazer. Pode ser que um dia ainda algum me mostre que prefere ser conhecido como o que gosta de ser diferente, do que o que gosta de ser como os outros.

Saturday, January 19

Esta noite voltaste a entrar-me no coração, se calhar de onde nunca saíste, como se nunca me tivesses deixado ou magoado. Acho que o tempo tem o poder de apagar as coisas más e fazer-me lembrar as coisas boas. Das palavras, das ações, das trocas de olhares, do sentimento que estávamos a criar, que tu decidiste travar. Fizeste-o bem, eu é que nunca o aceitei porque gostava mesmo de ti, nunca tinha gostado assim de ninguém, nunca tinha tido a experiência de andar com os meus dedos entrelaçados noutros dedos, ou de me sentir protegida por um rapaz, de me sentar ao colo de alguém, sentir o calor do seu abraço, do seu peito, dos seus lábios. E oh, se estava calor. Nunca tinha recebido mensagens a meio da noite, nem nunca tinha sorrido daquela maneira depois de ler uma mensagem. É estranho ver-te assim tão feliz com outra rapariga, é estranho ver o que já foi meu nas mãos de outro alguém. Se calhar nunca foste realmente meu. E custa-me, ao fim de quase um ano e meio, ainda escrever sobre alguém, se calhar, a quem eu nunca pertenci. Porque é que só me lembro de ti e não me lembro de quem me queria bem? Porquê tu, que me mandas mensagens quando te apetece e depois desapareces. Tu que mandas os teus amigos ligar-me a perguntarem se me lembro de ti, tu que és feliz, e eu que estou para aqui a ouvir música e a lembrar-me de ti. És um fruto proibido, do passado. I really love(d) you but I'll forget you.

Tuesday, January 15

A razão pela qual me lembro de ti, nestas noites em que não tenho nada para fazer, é porque foste o único que me fez sentir especial, o único que me fez acreditar que eu era diferente, que valia mais do que o que eu pensava, quando eu menos esperava. Decidiste partir à primeira oportunidade, eu virei a página, e quando eu já nem me lembrava de ti, tu voltaste como se tivesses o direito de saber se eu tinha ou não namorado ou rapazes atrás de mim. Ocupaste a minha caixa de entrada dias e dias, mesmo com namorada, que dizes serem super felizes. Acredito. Ainda que não tenha deixado que entrasses de novo na minha rotina, fazes parte dos meus pensamentos nestas noites, porque deixámos outra vez de falar e de partilhar os momentos de tantas gargalhadas, aquelas noites em que o assunto de conversa parecia infinito, noites em que adormecíamos a falar ao telemóvel um com outro. Impressionante como já nem te deves lembrar de mim, mas eu recordo-te sempre com um carinho especial, sabes porquê? foste o primeiro. Digam o que disserem, "condenem-me" por voltar a escrever sobre ti - há muito que não o fazia-, mas tenho memórias, as melhores memórias, de uma das melhores fases da minha vida. Sei que só me lembro de ti porque ainda não apareceu ninguém que me fizesse sentir assim, como tu fizeste, mas também sei que, quando aparecer, vou -lhe dar valor. E vou-me dar o valor que tu não deste.

Sunday, January 13

Sabem aquelas tardes no sofá a ver filmes? Foi assim a minha tarde, com a minha mãe. Estava mesmo a precisar de gargalhadas e boa disposição. E agora vamos as duas fazer o jantar. Love u mom.



Durante a semana acordo e penso no quão desejosa estou que chegue a sexta-feira, que os dias passem rápido para me poder deitar no sofá tapada por uma manta, e descansar, para poder dizer "amanhã é fim-de-semana, vou poder ficar em casa". Mas agora tenho medo dos fins-de-semanas, tenho medo de ficar em casa sem vontade para nada, medo destes dias desperdiçados em que fico entre a televisão e o computador. Os meus objectivos perdem-se, parece-me. Os sábados atraem pensamentos, pessoas em que não quero pensar, momentos que eu não quero planear e outros que eu quero é esquecer. Talvez precise de sábados novos na minha vida. Sábados que dêem sentido ao fim-de-semana, e ao início de uma nova semana.

Saturday, January 12

 
Nestes dias não há nada melhor que o abraço da nossa mãe. miss u so much mom

Thursday, January 10

E pronto, vou encerrar mais um capítulo que, felizmente, foi curto. É caso para dizeres "nunca soube que a tive" mas eu também não te consigo dizer que me tens, que estou aqui para ti, para tudo, que tenho vontade de ficar noites inteiras a falar contigo. Nada disto faz sentido, o que sinto por ti tem de ser travado aqui. Não posso pensar em ti desta forma, já que não te posso ter como queria. Até um dia, talvez.
Estou a  adorar e a ficar viciada nas aulas de RPM do ginásio. Alguém já experimentou?

Monday, January 7

Fones nos ouvidos, volume do mp3 no máximo. Estou sentada no baloiço que tenho na varanda, perdida entre as estrelas e as melodias que soam na minha alma. Hoje queria que certos momentos pudessem ser revividos, para sentir cada aroma do momento, cada arrepio, cada gesto, cada timbre de voz, cada emoção, cada motivação, cada grito, cada sorriso. Ler cada entrelinha de um coração. Há coisas tão boas e tão difíceis de se repetirem. Já é tarde, perdi-me no tempo. No entanto, continuo aqui sentada neste baloiço branco, à espera que se abra uma porta onde eu possa entrar, ou uma janela para poder dizer, nem que seja, 'bom dia', e sorrir. O resto, entrego à vida.
Nos últimos dias percebi que és mais importante para mim do que aquilo que eu pensava, que preciso de ti para estar bem, preciso que me faças rir tal e qual como és e que mostres a criatura fantástica que tens dentro de ti. Não tenho palavras para te descrever, para descrever a nossa amizade e o carinho enorme que sinto por ti. Mais que um amigo, um melhor amigo, és como um verdadeiro irmão, das melhores coisas que tenho. Só quero que chegue o dia de amanhã para te poder dar um abraço bem forte. Tu és all I need e eu quero-te para sempre na minha vida.

Saturday, January 5

E muitas vezes perdemos as forças e perguntamo-nos o que é que andamos aqui a fazer. Hoje é um desses dias.
Percebi que és realmente importante para mim e que a minha felicidade depende muito de se estou ou não contigo. Preciso de ter de novo as nossas sextas à tarde de tanta alegria, dos nossos desabafos, dos nossos carinhos - de amigos tão especiais -, preciso de ti. Como sempre as palavras faltam-me, talvez porque não tenho palavras que justifiquem o que sentimos, e talvez porque não há palavras suficientes que expliquem a nossa amizade. És das melhores coisas que tenho na vida, e quando me faltas, parece que me perco.

Friday, January 4

Só queria enfiar estes meros pensamentos numa garrafa de vidro e atirá-la ao mar, podia ser que uma dia a encontrásses. Não me posso apaixonar, não quero, tenho medo. Quero tudo menos voltar a magoar-me, voltar a sofrer o que sofri. Estava tão bem livre de pensamentos e paixões. Agora parece que penso em ti mais do que devia.

Wednesday, January 2

Mais que umas simples doze passas passas, eu quero – e vou fazer por isso - que este ano seja, pelo menos, tão bom quanto foi 2012. Há um ano atrás era uma pessoa completamente diferente, estava cega, presa a um presente que não me deixava ser feliz, era mais frágil e ingénua, não sabia o quão bom era estar no secundário, vivê-lo com alegria, com bons amigos. Felizmente que 2012 me deu certezas sobre os meus valores, e como devia dar valor às pequenas coisas e às pessoas que estão e sempre estiveram comigo. Espero que 2013 seja tão bom como foi o ano que passou, espero conhecer novas pessoas, conhecer melhor as que já conheço, surpreender-me pela positiva e pela negativa – porque também faz falta -, muita saúde e paz para a minha família e amigos, muita união e amor entre a minha família de maneira a proporcionar momentos fantásticos como os do último ano, espero conseguir as notas que pretendo, que os meus objetivos sejam alcançados, que a operação do meu avô corra bem, que a minha avó melhore, que a minha autoestima suba para que eu possa aproveitar ainda melhor tudo o que a vida tem para me oferecer e, sobretudo, encarar mais 365 dias com um sorriso no rosto e escrito na testa ‘eu sou feliz’.
E claro, desejo o melhor para todas as outras pessoas que, sem merecerem, têm vidas muito complicadas e que precisam de muita força para enfrentar estes 365 dias que se adivinham.