Wednesday, May 29

Continuas a mexer comigo como mexeste desde o momento em que te conheci. Foste exactamente aquilo que quis, o que idealizei, não te conhecia defeitos. De forma inesperada, feliz, tudo tão perfeito. Parecia que tudo batia certo, era tudo demasiado bom. E até hoje lembro-me de tudo. As nossas mãos unidas eram como um vulcão em erupção. Amava-te. Se calhar não deixei de te amar. Talvez o tempo leve o que não levou e permanece tão vivo em mim. E em ti o que permanece? Sei que um bocadinho de mim. E eu continuo a gostar de ti, um bocadinho talvez grande. Talvez não. Espero que não.

Sunday, May 26

Tenho saudades tuas e medo de não esquecer todas aquelas pequenas coisas que o tempo não levou. Foi há quase dois anos e ainda me lembro do cheiro do teu perfume, do cheiro da t-shirt que ficou comigo, dos teus lábios, do teu sorriso, da tua voz, de tudo o que partilhámos. Ainda me lembro do dia em que nos conhecemos, da nossa primeira conversa. E da última. Tenho mensagens tuas guardadas no telemóvel. Até te esquecer. Sabes que sempre me tiveste.

Friday, May 24

Final de tarde a ler...
 
Completamente viciada, tem sido o meu refúgio
Não estou a conseguir lidar bem com isto. Sinto demasiado as coisas, as pessoas. E o que elas fazem. Chamem-me mimada, chamem-me o que quiserem, mas preciso de um abraço da minha mãe.
Só queria andar feliz e na boa com as minhas amigas, sem medo de te encontrar, sem medo que me trates com indiferença. Por mais que tente não consigo entender-te, não consigo entender o porquê de me ignorares, o porquê de, um momento para o outro, deixares de me falar. Eu já tentei esclarecer as coisas, já te disse que não tinha segundas intenções contigo, que falava contigo por gostar do que dizes. E é verdade. Eu achava-te diferente dos outros rapazes, achava que não és daqueles que só sabe dizer que uma rapariga é boa e nem uma conversa consegue ter. Achava. Mas não posso achar mais nada. Tu não falas comigo e finges que nunca falaste. Sem eu te ter feito mal nenhum.
Meu deus, as pessoas gostam mesmo de brincar com os sentimentos umas das outras. Burra sou eu que penso demasiado nos outros.

Monday, May 20

É sempre um prazer acabar o dia a ler um livro da Margarida Rebelo Pinto. Envolvo-me em palavras e sentimentos vindos do coração, de uma forma que mais nenhum outro livro é capaz de o provocar. As minhas noites são mais doces, são passadas a voar entre amores e desilusões. Histórias cheias de vida. Esta semana quero comprar mais um livro dela, são um vício.

Sunday, May 19

Obrigada, Movie Maker, por bloqueares e não guardares o meu trabalho de geografia.

Monday, May 13

"Apaixone-se por alguém que te curte, que te espere, que te compreenda mesmo na loucura, por alguém que te ajude, que te guie, que seja teu apoio, tua esperança. Apaixone-se por alguém que volte para conversar com você depois de um discussão, depois de um desencontro. Apaixone-se por alguém que sente sua falta e que queira estar com você. Não se apaixone apenas por um corpo ou por um rosto ou pela ideia de estar apaixonado."

Sunday, May 12

É fácil dizermos que temos muitos amigos, mas é nos momentos mais difíceis, em que precisamos de ajuda, precisamos de uma conversa, de um ombro amigo, de palavras menos brutas, de alguém que se sente ao nosso lado e diga que podemos chorar, que não é vergonha nenhuma e que depois da tempestade vem a bonança, que vemos que estamos quase sozinhos. É fácil dizermos que temos amigos super fixes, que partilhamos com eles muitos momentos, muitas conversas, mas quando precisamos, muitos desses amigos fogem.


Obrigada, C, por fazeres parte da minha vida.

Wednesday, May 8

Tuesday, May 7

Têm sido dias difíceis para mim, mas felizmente tenho a sorte de poder ter na minha vida uma amiga como tu, uma companheira, um braço-amigo, alguém que não te abandona, que te quer tão bem como quer para ela própria. A nossa amizade sempre foi assim, verdadeira, inesperada, diferente daquelas amizades de básico que passavam a vida a dizer "amo-te" e todas aquelas coisas que as miudas de 12 anos dizem e fazem. Agradeço-te do fundo do coração por tudo, por me conheceres quase como ninguém, por saberes quando estou triste e saberes o porquê, por me fazeres companhia todos os dias, seja a falarmos durante horas ou apenas uma mensagem ou duas quando estamos muito ocupadas, por me dares valor como poucas pessoas dão, por acreditares na nossa amizade, por apostares nela, por seres uma das certezas que tenho para a minha vida. Nunca vou desistir da nossa amizade. Somos nós, únicas, para sempre juntas. Obrigada!

Sunday, May 5

Para mim, este que é, supostamente, o dia da mãe é um dia normal, como todos os outros. Dia da mãe deve ser todos os dias. Devemos todos os dias agradecer à nossa mãe por nos ter trazido ao mundo, por ser a nossa melhor amiga, por ser quem mais gosta de nós, por nos proteger, por dar a vida por nós se for preciso. Todos os dias digo a minha mãe que a amo e que é linda. Todos os dias lhe dou beijinhos e agradeço por ter a sorte de ter uma mãe assim. Não preciso de dias marcados para meter uma fotografia com ela nas redes sociais e dizer que é a melhor do mundo. Ainda esta semana me apeteceu agradecer-lhe por tudo, por ser ela quem ao fim do dia me dá um abraço e diz que vai ficar tudo bem. É, todos os dias da minha vida, a minha mãe. E mãe há só uma.


Friday, May 3

É difícil quando achamos que somos uma porcaria e que ninguém vai ser capaz de gostar de nós. É assim que eu penso, porque não há ninguém que me mostre o contrário.

Thursday, May 2

Como é que é possível eu ter tanto azar no amor? Há sempre a distância a separar-me do que queria. E quando acho um rapaz de cá interessante nunca o conheço melhor porque tenho medo de ser rejeitada.
Posso estar a sentir que o mundo está a cair em cima de mim, mas tudo fica bem depois de uma conversa contigo. Tenho, de facto, sorte nos pais que tenho. Obrigada mummy, enches-me o coração, todos os dias.

Wednesday, May 1

Não percebo o que se passa com as pessoas. No espaço de 3 dias são, pelo menos, três as pessoas para quem eu sou simpática e não me respondem ou respondem mal directamente. Os meus pais sempre me ensinaram que quando uma pessoa se lembra de nós devemos agradecer-lhe, devemos ser igualmente simpáticos para essa pessoa. Acho que não vale a pena lembrar-me de ninguém, nem ser simpática. Valemos o mesmo para essas pessoas, ou se calhar até menos. Se calhar o truque está em não dar importância. Desiludiste-me/am-me um bocadinho.